sexta-feira, agosto 29, 2008

Ele disse não.


João sempre quis se aproximar de Deus.
Ele sempre soube que isso teria um custo.
João sempre dizia: “a cruz é o lugar que devemos estar pra de lá ver Jesus”.
João fazia muitas coisas pra Deus: Pregava nos trens, evangelizava, enviava e-mails animando os irmãos a se entregarem mais pra Deus, adorava a Deus no templo e nas praças também, distribuía alimentos e roupas aos mais necessitados e até mesmo fazia doações a asilos e orfanatos...
Tudo isso sem que sua mão direita soubesse, como diz as escrituras.
João tinha tudo, bons amigos, congregava com irmãos que queriam a verdade, mesmo sem ter total compreensão do que isso significa, tinha um bom trabalho, uma família com problemas comuns, dois cachorros e uma gatinha.
João sempre estava alegre, pelo menos era o que aparentava, pois ele entendia que ninguém deveria sofrer com os problemas dele e por isso mesmo estando triste, ele se esforçava pra que isso não transparecesse.
Muitos gostavam do João, afinal ele tinha tantas qualidades desejáveis...
João amava falar de Deus e quando ele falava as pessoas sentiam o quanto ele desejava a Verdade.
João era um exemplo pra muitos.
Mas nem tudo eram flores na vida de João.
João tinha muitas tristezas ocultas em seu coração, coisas que ele achou que poderia resolver sem “incomodar” a Deus.
Sentimentos abafados, dores ocultas, pecados...
João não gostava da imagem que as pessoas tinham dele, mas muitas vezes, por medo, fraqueza talvez, ele aceitou a imagem irreal.
Com o tempo esta imagem tornou João alguém triste, sem esperança.
Havia somente momentos de alegria, João sempre lembrava do que estava dentro de seu coração. Ninguém via, mas João sabia. Ele sentia.
Uma dia Deus resolveu ajudar João: Enviou três de seus mensageiros especiais.

João estava impactado pela Glória de Deus, pelo seu cuidado.
João sorriu ao ver os mensageiros, sempre ouvira falar deles, leu sobre eles, mas vê-los era algo magnífico.
João ria, alegrava-se pelo privilégio que lhe foi concedido.
Porém estes mensageiros tinham uma mensagem, nada de rolos e grandes profecias.
Eles simplesmente apontaram para o coração de João e disseram: Entrega!
O semblante de João mudou. Ele não entendia. Não conseguia compreender.
Mas eles com as mãos estendidas continuavam: Entrega!
João apertou forte a mão contra peito, pois ali haviam coisas que ele não queria entregar, nem mesmo aquele que NADA negou ele.
João chorou copiosamente, por que por mais que tentasse, ele não conseguia entregar.
Aos prantos João dizia: Não, Não! Até cair prostrado... Os mensageiros foram embora.
E João... João não foi mais o mesmo.
Mais tarde Deus disse a ele: Eu só queria que você tivesse essa fidelidade e esse amor por mim!
Por mim... por mim...
João calou-se e não se achou mais alegria nele.

Quantos joãos existem?
Quantos ainda existirão?

Pra que a história de João mude ele precisa dizer sim e entregar tudo.
TUDO!

Ele (Jesus) só quer ser amado.

AMOR!

Saparada...

Ocorreu um erro neste gadget