quarta-feira, maio 05, 2010

Idiota


Eu sou um idiota!

E por mais que eu repita isto eu sempre esqueço. Eu sou um idiota!

Toda a minha sede de conhecimento, minha fome de verdade e vida, me deixaram mais seco e disperso.

Talvez eu tenha desprezado as águas rasas, por que o meu objetivo eram as profundas...

Talvez eu tenha deixado pra trás, companheiros, colegas e amigos, por que eu anseio por irmãos.

Talvez, eu tenha deixado a alegria, amizade, paixão e carinho pra trás, por que afinal Saparada é o AMOR!

(...)

Com certeza eu sou um idiota!

Por saber que existe mais, eu desprezei o pouco. Por achar que já sabia eu desprezei aprender; por achar que já tinha deixei muitas vezes de ganhar.

Sendo tão sério, tão critico e tão enérgico, me tornei triste por não perdoar minhas fraquezas.

(...)

Caminhando pelas ruas vejo bêbados, viciados e crianças prostituídas. Tudo isso enquanto procuro um lugar pra lanchar...

Não sinto a dor deles, não sinto amor por eles, não sinto... Sinto que não sinto.

Só sinto a minha dor, dor aguda. Dor que me encarcera em medos, teorias, dogmas e fetiches.

Como eu sou idiota.

Fazendo musicas pra ninguém ouvir, cozinhando alimentos pra ninguém comer, aprendendo pra não ensinar ninguém...

Olhando no espelho, não consigo parar de repetir: Idiota! Idiota! Você é um idiota.

Pior que isto tudo é não acreditar no amor. Minimizar as manifestações de amor e de carinho, menosprezar o afeto esporádico e inconstante, esquecendo que ele é algo gradativo e vai sendo gerado dia-a-dia. Olhando constantemente pra minhas imperfeições, fraquezas e pecados, deixo de acreditar que sou amado.

Reconhecer este amor, amor insondável, imutável e incomparável, me fará ser bom, agradável, amoroso, totalmente dEle...

Como eu sou idiota... O idiota amado do Pai!

Ele me ama não “apesar disso”, mas “inclusive por isso”.

E isso jamais irá mudar!

Saparada é o Amor: Ser idiota sem deixar de ser amado!

Ocorreu um erro neste gadget